Segundo a Confraria da Sopa, este alimento “…é o resultado da cozedura breve, em água, de uma variedade de alimentos predominantemente vegetais e cereais aos quais se adiciona um pouco de gordura e por vezes também carne, peixe ou ovo, para de uma forma geral comermos à colher, no início da refeição.”

Antigamente, a sopa era feita em “poças” de água quente com origem na atividade vulcânica onde se adicionavam diversos alimentos. Posteriormente, a sopa passou a ser constituída por um pedaço de pão em caldo fervente de carnes ou legumes, sendo reconhecida pelos seus efeitos terapêuticos e medicinais, ganhando assim importância na alimentação.

A partir do século XX, foi associada à baixa condição social, havendo uma diminuição do seu consumo nos países ocidentais, devido à vida agitada das pessoas e à proliferação de cadeias de restauração de serviço rápido.

Atualmente, os avanços da ciência promovem os benefícios do consumo de sopa:
– É um alimento com baixo valor calórico e que facilita o consumo de diversos hortícolas na mesma refeição, apresentando-se como um prato económico, de fácil preparação e conservação;
– Apresenta um elevado teor em vitaminas e minerais, uma vez que a cozedura é feita a baixas temperaturas, não havendo degradação dos nutrientes;
– Promove uma maior saciedade, pois quando consumida ao início da refeição diminui a quantidade de alimentos ingerida no prato principal, contribuindo assim para um melhor controlo do peso corporal;
– A combinação de fibras e do elevado teor em água tornam-na num bom regulador do trânsito intestinal e do apetite, também regulado pela temperatura a que normalmente é consumida;
– Permite uma fácil digestão dos alimentos que contem, facilitando a digestão e absorção de nutrientes;
– Colabora na prevenção de diversas patologias, nomeadamente as doenças cardiovasculares, alguns cancros, diabetes e obesidade;
– Facilita a ingestão alimentar das pessoas com dificuldades de mastigação, sendo ideal para todas as idades;
– É pouco alergénica e não contém as moléculas agressivas que se formam noutros processos de confeção (como nos fritos ou nos grelhados na brasa).

A receita é simples: na base, coloque apenas um destes alimentos – batata, massa ou arroz; adicione apenas 3 a 4 hortícolas diferentes, mas varie esta combinação ao longo da semana; adicione leguminosas (feijão, grão, ervilhas, lentilhas e favas); e, tempere com azeite só quando estiver pronta (o equivalente a uma colher de chá por pessoa).

A sopa é um prato bastante versátil e fácil de adaptar ao gosto individual, à cultura e ao clima de cada região. Sendo tão característica da cultura gastronómica portuguesa, é fundamental manter e reabilitar o hábito de comer sopa diariamente, como parte integrante de uma alimentação saudável.
COMA SOPA! Bom Apetite!

Adaptado de:
– Gregório, M.J., Santos, M., Ferreira, S., Graça, P. Alimentação Inteligente – Coma Melhor, Poupe Mais. Dotzein. Lisboa, 2012 – 1ª edição;
– Sopas: Mais que um Alimento, são um Prato com Saúde. Associação Portuguesa dos Nutricionistas. Porto, abril de 2013.

Carina Ferreira (Nutricionista 2984N)


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *